Imprimir

A Secretaria Municipal de Saúde, através da Coordenadoria de Vigilância em Saúde, por meio de seus Agentes de Endemias em parceria com servidores lotados na Secretaria Municipal de Agricultura e Obras, promoveram um mutirão de limpeza com a realização de Teste Rápido para Diagnóstico de Leishmaniose Visceral em Caninos, no dia 16 de Janeiro de 2019, oferecendo subsídios de implementação e operacionalização das ações de controle e cuidados básicos nas ações, tanto da população canina, quanto na humana.

Os testes rápidos, com coleta de sangue no local para o diagnóstico da Leishmaniose Visceral, deu agilidade no pré-diagnostico. O resultado fica pronto em aproximadamente 15 minutos e indica se o cão tem ou não, naquele momento, anticorpos para Leishmaniose. Caso o teste confirme o reagente é preciso fazer um segundo exame para confirmar o resultado. O principal benefício do teste rápido é promoção de ações para o controle da doença.

"A partir deste ano será intensificado e implantado o Programa de Controle e Vigilância da Leishmaniose Visceral Humana e Canina no âmbito municipal, com envolvimento de Médico das Unidades, Médico Veterinário, Enfermeiros, Agente de Endemias e demais colaboradores", disse a Secretária Municipal de Saúde, Leisiane Campos Faria da Luz.

Para a Coordenadora de Vigilância EM Saúde, Gessica Tamiles Ferreira de Abreu, "a orientação com aspecto total educacional, promoverá o resultado esperado, que é o cuidado contra as doenças infectocontagiosas e a garantia da qualidade da saúde pública, evitando doenças e epidemias". "Esperamos poder contribuir bastante para esta população com a realização das atividades do controle de endemias", disse.

Leishmaniose

A Leishmaniose também conhecida como Calazar é uma doença causada pelo protozoário Tripanossomatídeo Leishmania Chagasi. É transmitida por vetores da espécie Lutzomia Longipalpis ou Cruzi, mosquitos de tamanho diminuto e de cor clara, que vivem em ambientes escuros, úmidos e com acúmulo de lixo orgânico.

Essa doença compromete os órgãos viscerais, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. A Leishmaniose costuma se propagar nas regiões rurais, sendo comum no nordeste brasileiro. Nos centros urbanos essa doença começa a ser uma ameaça devido a grande quantidade de animais soltos na rua. Com a proliferação da doença e o não tratamento adequado, a Leishmaniose tende a se manifestar e crescer. Vale lembrar que a doença não se transmite entre animais, de cachorros para pessoas e vice-versa, sendo transmitido apenas pela picada do mosquito fêmea infectada.

Os animais com Leishmaniose apresentam sinais como emagrecimento, perda de pelos, lesões na pele e, na fase final da doença, crescimento desordenado das unhas. Já no ser humano, os principais sintomas da doença são manchas no corpo, febre, anemia, palidez acentuada e inchaço abdominal.

Dicas de prevenção

 

VARGEM ALEGRE

DE VOLTA AO PROGRESSO!